sábado, abril 07, 2007

Momentos Simples II


Já o ar era engolido pela garganta, na esperança de que uma gota perdida pudesse entrar para saciar aquela incessante necessidade de sentir líquido escorrer pelas paredes de uma garganta ressequida, enganada pela saliva malvada a cada gole em falso.

E é então que o desejo se materializa. E todos os sentidos se voltam para a sensação de êxtase que aquele simples copo de água fresca representa. Está ali a solução para o problema mais imediato que se nos depara, e na verdade o único a que conseguimos dar atenção.

Por alguns segundos, não há nada que não possa esperar para depois. A satisfação invade-nos, não há nada que quiséssemos mais. Para quê tudo o resto se não cessar este desejo? A frescura renovada... O sentir a água penetrar todos os poros de um corpo que a desejava desesperado...

Sim, por momentos o mundo é perfeito porque não tenho sede. E o que poderia eu ser sem este conforto?

1 comentário:

T disse...

Eh pá, isto vai ser mega-nerd, mas lembraste-me imensamente a pirâmide de Maslow:P