segunda-feira, setembro 04, 2006

Sofrer... =x



Exactamente até onde vai a capacidade humana para sofrer?

É algo pessoal ou comum a todos nós? Será que uns estão mais predispostos a sofrer ou a encaixar sofrimento dentro de si? É algo que adquirimos com o tempo, por força das circunstâncias, ou que sabemos "fazer" à nascença?

Posso estar a ser presunçosa ao dizê-lo - há quem me considere até uma pessoa um nadinha mimada - mas acho que já houve alguns momentos em que sofri muito na minha vida.

De cada vez que me é colocado no caminho, o sofrimento parece-se sempre com um muro de infindável dor e angústia que jamais vou conseguir transpôr. A início mantenho-me sentada e espero que o muro evapore de olhos e punhos fechados com toda a raiva e todo o cansaço do mundo nos ombros. Quando tenho coragem para olhar em frente, continuo com o horizonte tapado pela construção malvada mas começo a andar. Ando na sombra porque o sol não me alcança mas não páro mais... Algures no meu caminho acabo por ir encontrando primeiro uma flor, depois um riacho, talvez um pássaro que foge de mim depressa para rapidamente atravessar o muro fazendo-me inveja... Tudo coisas que à partida não tem cor nem graça, onde não encontro luz nem conforto, mas que me vão mostrando que se calhar o mundo à minha volta continua na mesma - indiferente à minha ansiedade, à minha sombra e ao meu muro. Até que há um dia em que encontro uma porta e toda eu me agito perante a ideia de superar a crise. Mas a chave que tenho na mão não vai abrir nem a primeira nem a segunda porta, talvez nem a terceira... Continuo a andar por um caminho que não conheço sem qualquer garantia de vir a conseguir abrir uma porta mas ando porque não consigo parar e me recuso a acreditar que o muro vai existir para sempre...

Acabem a história como quiserem. Pessoalmente acho que por mais que estes muros apareçam, e às vezes aparece mais do que um ao mesmo tempo e ficamos encurralados, vai existir sempre uma porta que vamos conseguir abrir... Mas e se não existir? E se o muro for simplesmente demasiado longo? Será possível sofrer para sempre?

1 comentário:

G. disse...

"Cláudia Marques Matos disse...

No man who has seen and touch the fountains is a fool. no man who has learned to smile becomes a mere image of love and life... The hill of souls is, then, pretty much like life itself: carries grief hidden beneath its beauty but is nevertheless beautifull and worth living... =) Acredito que tudo aquilo por que passamos, especialmente experiências maravilhosas que nos fazem muito felizes, nos traz muito mais Bem que Mal... Por isso não acredito no sofrimento eterno... O que se perde, não interessa quão grande seja, é sempre compensado pelo que fica... Quem ama e perde o ente amado, acaba sempre por se ter tornado numa melhor pessoa, mais capaz de amar... A dor é necessária, mas até para sofrer temos de ser felizes! É uma questão de descobrir o bem que tudo nos deixa certo? =)"

nada mais tenho a dizer, disses-te tudo neste comment que me mandas-te ha uns tempos. Beijo